Sobre a redação do Enem

outubro 23, 2013


O Enem será nesse final de semana e ainda tem muita gente nervosa por aí, insegura sobre como fazer uma boa redação e mesmo que seja em cima da hora, vale à pena seguir algumas dicas. Em parceria com a minha professora de redação da escola, preparei um post especial sobre isso.

Como já se sabe, a redação que será escrita no Enem vai obedecer à tipologia dissertativa-argumentativa. Em outras palavras, isso significa dizer que o texto dessa prova deve apresentar as seguintes características:

  • Clareza
  • Objetividade
  • Opinião e posicionamento
  • Formalidade
Esses aspectos são fundamentais a qualquer dissertação argumentativa, já que o propósito comunicativo de textos que atendem a essa tipologia é a consolidação de um posicionamento crítico de alguém a respeito de um assunto. 
Até hoje não está muito clara a natureza comunicativa pretendida pela redação do Enem. Porém, há algumas especificidades dessa prova que nos possibilitam adequarmos a uma realidade comunicativa, que são:

  1. Respeito à diversidade
  2. Proposta de intervenção
Mediante essas propriedades e as propostas dos últimos anos, pode-se concluir que, no Enem, o candidato é impulsionado a se posicionar criticamente diante de uma realidade social. Portanto, ao escrever, é necessário que se tenha em mente que O AUTOR DA REDAÇÃO DO ENEM É UM CIDADÃO QUE PROCURA REFLETIR SOBRE A SOCIEDADE DE SEU PAÍS. Lembrando apenas de não expor uma opinião generalizada e sim de assumir seu próprio ponto de vista.

Introdução
A introdução nada mais é que a exposição da ideia central do texto, ou seja, o levantamento de um problema. Para se introduzir bem o texto deve-se escolher uma boa estratégia a ser utilizada e exemplos delas são:
  • Definição: conceituação do tema.
  • Comparação: definição do tema a partir de uma comparação.
  • Citação: procura justificar a tese. (Pode-se dizer que seja um bom instrumento de credibilidade para o texto, mas atente-se: caso não se lembre do autor e da citação verdadeiramente feita, procure parafrasear, mesmo que não dê tanto crédito ao texto como a citação em si.)
  • Histórico e estatística: ambos os dados estão intrinsecamente ligados por serem fatos verídicos que, quando bem utilizados, também são capazes de dar grande credibilidade ao texto em questão.
  • Exemplo: o exemplo, como as outras estratégias, deve vir junto a uma analise feita após a sua utilização, mas atente-se: o exemplo deve ser de conhecimento geral e os fatos devem sustentar assiduamente a tese.
  • Resumo: como o nome já diz, se refere a um resumo do que se pensa acerca da tese elaborada.
  • Pergunta: podendo ser retórica ou então sendo respondida no decorrer da redação. 
Lembre-se: pra se escrever um bom texto não basta utilizar a estratégia, deve-se fazer uma boa análise sobre tudo o que será dito e o texto deve possuir uma boa estrutura.

Desenvolvimento
IDEIA CENTRAL (posicionamento) + FUNDAMENTAÇÃO (estratégia)
O desenvolvimento se baseia na discussão e argumentação em relação à tese feita anteriormente. Pode haver um ou vários argumentos, desde que cada um seja destrinchado em um parágrafo específico. A apresentação do ponto de vista pode ser vinculada a uma ou mais das estratégias, desde que seja promovida uma maior credibilidade o texto:
  • Citação direta: mais aconselhável de ser usada na introdução.
  • Citação indireta: possui a mesma função de um discurso indireto.
  • Senso comum: princípios e valores compartilhados entre a maioria das pessoas de uma determinada sociedade.
  • Evidência: fatos que comprovam a tese.
  • Raciocínio lógico: relação entre causa e consequência.
  • Exemplo: o exemplo, como as outras estratégias, deve vir junto a uma analise feita após a sua utilização, mas atente-se: o exemplo deve ser de conhecimento geral e os fatos devem sustentar assiduamente a tese.
Conclusão e proposta de intervenção:
Ambas podem estar juntas em um só parágrafo ou cada uma pode possuir um parágrafo específico.Ambas devem responder à tese. Para que seja feita uma boa finalização da redação, vale lembrar que a proposta deve ser feita a partir de uma ação, podendo ou não estar vinculada a uma conscientização e deve incluir todos os cidadãos e não privilegiar apenas um grupo. A solução do problema a ser apresentada deve:
  • Ser aplicável: passível de existir.
  • Responder a tese.
  • Ser explícita.
  • Excluir a responsabilidade do governo. (O governo não é o único que pode solucionar o prolema.)
  • E pode ser realizada pelo próprio cidadão junto aos demais.
O QUÊ
+
COMO , 
ou seja, deve ser rica em detalhes.

Obs.: Todas as estratégias criadas foram feitas pela professora Marina Viana e eu apenas as expus de uma maneira mais simplificada de forma a possibilitar um entendimento geral. Os textos em itálico são palavras da própria autora.

Espero que tenha ajudado e uma boa sorte a todos!



2 Comentários:

  1. Queria ter visto esse post antes de fazer o enem, ele foi super instrutivo. E nunca vi nenhum blog passando pra gente essas dicas tão boas.

    http://leitecombiscotos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Monique! Gostaria também de não ter postado em cima da hora, mas só obtive essas informações um dia antes do post. :/

      Excluir

Diga-nos o que achou do post.