A gente briga, mas se entende

julho 04, 2016

Foto: Reprodução/Tumblr
Eu estou aqui. Não importa quantas brigas ocorram entre nós, eu sempre estarei aqui.  

É estranho dizer isso, mas depois desse tempo todo que passamos juntos, há pouco me peguei questionando se ainda o amava. Aquelas borboletas na barriga se foram há tempos, aqueles seus pequenos defeitos começaram a incomodar e, de repente, tornou-se comum nos desentendermos.  

Inúmeras vezes pensei em dar um fim a nós dois, como se isso pudesse resolver uma coisa que talvez estivesse apenas em mim, ou em você. Se valeria à pena eu não sei, só sei que resisti. Às vezes resistir e lutar por algo, pode mostrar se aquilo realmente vale à pena. 

Acho que um relacionamento pode ser tratado como um teste de resistência. Só conhecemos as pessoas depois de convivermos muito com elas, e foi o que aconteceu com a gente. Você e esse seu jeito desajeitado para as coisas muitas vezes me tiraram do sério, e por muito isso nos desgastou. 

Desaprendi a te dar valor e você se foi. Mesmo nos vendo com uma certa frequência, a sua ausência nos meus dias trouxe à tona uma série de lembranças - dos momentos bons. Comecei a reparar nos pequenos detalhes que faziam cada dia, um dia mais feliz. E aí veio aquela perguntinha básica: o que é o amor? 

Mesmo com vários sinônimos, esse sentimento abstrato passa a fazer mais sentido quando entramos em crises como essas. Amor é quando a gente deixa o outro livre pra seguir o caminho que quiser e faz de tudo para que ele seja feliz com a própria escolha.  

É como se você fosse um passarinho e eu o quisesse aqui, bem no meu peito. E eu torço para que seja assim. Quero apenas que saiba que de tudo farei para que seu ninho seja aqui, ao meu lado, e que de tudo farei pra gente dar certo.

Você se lembra quando tudo começou? Foi tudo por acaso, como deveria ser. Bonito mesmo é quando tudo acontece por acaso. Sem data, sem horário, apenas coincidências, ou então o destino. E quero que voltemos a nos dar tão bem quanto nos dávamos antes. 

Depois de tanto procurar por aí, encontrei você e descobri que já não havia espaço para mais ninguém. Como já dizia a Mallu, eu preciso de você aqui pra me fazer feliz. Preciso do teu sorriso, da tua boca, do teu cheiro, do teu sabor, do teu abraço e do teu carinho. E prometo que trarei tudo isso em dobro. A gente briga, mas se entende. A gente grita, mas de amor. 

Nada melhor que o calor do teu corpo ao me acordar pela manhã e aquele cheirinho de café que só você faz como eu gosto. Ninguém sabe fazer nada como eu gosto, só você. É de você que eu gosto.

Depois de um tempo a gente aprende que as borboletas no estômago nunca se foram, elas só se manifestam de maneiras diferentes, no nosso dia-a-dia. Eu aprendi que não há nada melhor que esse teu jeito desajeitado, que nós valemos à pena e que se nos desentendemos, é porque nos entendemos demais.

2 Comentários:

  1. "Às vezes resistir e lutar por algo, pode mostrar se aquilo realmente vale à pena"

    Aprendi isso na marra, mas antes tarde do que nunca... :')

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, infelizmente a gente só aprende na marra :(

      Excluir

Diga-nos o que achou do post.