Passado, presente e futuro

agosto 01, 2016

Foto: Reprodução/Marina Campos
Vez ou outra me deparo num monólogo quase que sem fim. Meu eu interior começa a me questionar ininterruptamente sobre absolutamente tudo! Sobre o passado, presente, futuro... E isso me enlouquece.

O passado já aconteceu, mas será que tudo se concretizou? E os erros? A gente aprende com eles. E as dúvidas? A gente busca solucionar. E as lembranças? Essas, se forem boas, devem ficar e se forem ruins, se não servirem de lição, que sejam deletadas! Essa história de memória seletiva podia fazer parte da natureza do ser humano. Quem sabe assim tirássemos maior proveito de coisas que nos fizessem evoluir ao invés de regredir - como às vezes acontece?

A maior parte da minha vida foi vivida em prol do passado. Das histórias acabadas - ou não - onde eu sempre ficava refazendo as cenas na cabeça, esperando sempre buscar alguma nova informação, analisando uma ação ou quaisquer bobeiras. E esse passado me fez uma pessoa extremamente insegura. Era como se meus erros ou frustrações anteriores pudessem voltar e me atrapalhar, novamente. 

Mas aí comecei a pensar no presente. 

Pensar presente era mais estranho, sabe? Nenhum aprendizado passado e nenhuma perspectiva. Essa história de viver o momento não é para mim. Me sentia como se estivesse acorrentada e todas as pessoas ao meu redor continuassem na caminhada. Me admira muito quem vive assim e se dá bem. Me vinham aqueles pensamentos: "o que estou fazendo aqui?", "por que estou fazendo isso?" e por aí vai. Caminhar sem rumo é pior do que se perder. 

E aí entrou o futuro. 

E com ele a insegurança voltou - e ainda permeia. Você cria metas, objetivos, o que é realmente bom, já que nos torna mais produtivos. Mas com as metas vem os prazos e estes nos enlouquecem! Ansiedade, medo, nervosismo... Uma série de sentimentos e sensações que jamais vivenciamos antes e tudo por medo de não conseguirmos ser o que queremos ser. A boa notícia é que, com força de vontade, conseguiremos tudo o que quisermos. Só não vale desistir. 

A questão é: não dá para viver em prol de nada ao extremo. Seja passado, presente ou futuro, tudo na vida é passageiro e tem uma razão, seja essa criada por você, ou pelo destino - e isso só depende de você. Quer ficar sentado aí vendo o acaso tomar as decisões por você ou você mesmo vai tomar conta de si? O tempo não para, mas a gente sim. 

Então, use o passado como referência para as ações futuras, não como um simples flashback. Use o presente com melhor proveito, e não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. E use o futuro como uma motivação para tornar o presente ainda mais valioso.

E você? Vive o ontem, o hoje ou o amanhã?

2 Comentários:

  1. Eu, graças a Deus, vivo no presente, com certo cagaço do futuro, hahaha.
    Falar disso as vezes é complicado. Se tu tens rabo preso com o passado, o presente é nada mais que reflexo dele. O futuro, de incerto vai pra improvável e assustador num piscar de olhos, mas do que já o é. Pra mim o passado é determinante, peça chave do jogo, pelo poder que tem de controlar a gente, daí a necessidade de, como você falou, usá-lo como referência e só. Texto lindo. bjbjbj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Lindo também é esse teu comentário <3

      Excluir

Diga-nos o que achou do post.